Início > Blog > Tendências para o setor de móveis planejados
Screenshot from 2016 12 14 11 00 42

Tendências para o setor de móveis planejados

Postado Qua, 14 de Dezembro de 2016, 10:59:00

Para corresponder às novas exigências, empresários especializam-se em tipos específicos de mobiliário para atender a demandas de nichos de mercado.

Confira abaixo algumas tendências voltadas ao mercado de móveis planejados.

Tendências

Móveis planejados para pets

O mercado de animais de estimação está em crescimento no país. Com os bichinhos cada vez mais presentes no dia a dia, foi preciso adequar a casa aos pets, o que abriu novo nicho de mercado para os planejados.

Gatos e cachorros são os animais mais comuns, cujos donos investem em mobiliários interno e externo adequados ao conforto e bem-estar dos pets.

Mas o mercado não se restringe a eles: criadores de peixes, de aves e de répteis também devem ser considerados por quem deseja investir nesse nicho.

Móveis para pilates

A popularização da atividade abriu portas para o mercado de móveis específicos para essa prática.

Produzidos basicamente com madeira, inox, tecido courvim e espuma, os aparelhos para pilates podem ser feitos sob medida.

Esse é um nicho de mercado com potencialidade em expansão.

Móveis customizados

Outra tendência forte para o mercado de planejados é a customização, que consiste em personalizar o projeto de acordo com as preferências dos clientes.

A customização pode ser feita com técnicas artesanais, como decupagem, pátina, revestimento com tecido ou vinil.

Detalhes personalizados como puxadores e acabamentos diferenciados também são procurados.

O empreendedor do ramo de planejados deve ficar atento às novidades e tendências para atender às demandas dos clientes, principalmente daqueles que buscam exclusividade e estilo.

Gestão dos resíduos

As demandas do mercado atual exigem técnicas racionais de uso dos materiais, o que implica destinação correta dos resíduos sólidos.

Por isso, é fundamental que as empresas de móveis planejados estejam atentas às práticas de uso racional, com a utilização sustentável da matéria-prima e dos recursos como eletricidade e água, evitando desperdício e gastos desnecessários.

O descarte das sobras da produção também deve ser planejado. Resíduos de madeira como serragem, cepilho e pedaços de tábuas podem ser doados para cooperativas de artesanato ou reciclagem.

Resíduos químicos como embalagens de solvente, vernizes e tintas devem seguir as instruções de descarte do rótulo, evitando a contaminação do meio ambiente com substâncias químicas nocivas.

Fonte: http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/artigos/tendencias-para-o-setor-de-moveis-planejados,f3eda82a39bbe410VgnVCM1000003b74010aRCRD

Comentar

0 Comentário(s)